2/22/2008

Eu quero morrer de noite, na tocaia me matar

Lê, lê, lê, lê, lê, lê, lê, lê, lê, lê. Lê, lê, lê, lê, lê, lê, lê, lê, lê, lê. Vida de negro é difícil, é difícil como quê...
Sim, amiguinhos, o Leôncio se foi. Explicando: Leôncio é um personagem do livro A Escrava Isaura de Bernardo Guimarães. Foi adaptado para uma novela -não a recente da TV do Bispo Macedinho, mas a antiga da Rede Globo, circa 1976 (como estou velha, deusmelivre). Quando eu digo que meu Rubens de Falco me dará chibatadas é a ele que me refiro. Ele fez o Leôncio, aquele homem mau que vivia atazanando a vida da pobre Lucélia Santos (a petista vesga Isaura). Ele era obcecado por ela e chegava a dar altas chibatadas na pobre escrava. Quando li pela primeira vez no blogue do Ruy Goiaba que ele tinha seu Rubens de Falco próprio, me identifiquei imediatamente. É como me sinto em meu trabalho. Levo chibatada todo dia. Hoje mesmo levei umas 50. E como não sou de ficar quieta, em vez das 10 programadas, acabo levando 50. Mas falemos do Rubens de Falco. Ele deu um show de canastrice em sua interpretação do Leôncio. Mas era bom demais vê-lo. Homem rude, sangue ruim mesmo. Eu só tinha um problema sério com o ator, eu não conseguia respeitá-lo. Por que? Porque ele usava peruca. Eu não consigo respeitar homens de peruca. Eu caio na gargalhada. É muito tosco. Teve um episódio de Seinfeld em que o George Costanza começou a usar peruca -aliás tem um grande amigo meu que é um homem muito bonito, mas antes de conhecê-lo pessoalmente, em minha mente doente, ele era parecido com o George Costanza. Quando o conheci, quebrei a cara. Era hilário ver o George, aquela figura, com cabelos. Mas se pensarmos bem, se o Rubens de Falco não usasse sua peruquinha quando fez Leôncio, não seria a mesma coisa. Não seria a melhor canastrice de todos os tempos.
Pois é, amiguinhos, o Rubens de Falco da Lucélia Santos se foi. Quando o meu irá? ou melhor, quando os meus irão? por falta de um, tenho dois. 50 chibatadas cada um por dia. E olha que se for ver de verdade, não mereço, posso ser meio desorganizada, mas sou muito dedicada. Só quero mandar um recado para os meus Rubens de Falco: dói, viu?

4 comentários:

Roger disse...

Obrigado, Rubens de FAlco, pelas chicotadas dadas na Lucélia Santos. Ela era petista na época? Não. O PT nem existia. As chicotadas era de verdade? Claro que não. Ainda assim, obrigado, Rubens de Falco, pelas chicotadas dadas na futura petista Lucélia Santos.
Atualmente o vilão que tenta esconder a careca é petista e bem mais competente como ator.

Marie Tourvel disse...

A Isaura, digo, a Lucélia Santos tinha a alma de petista antes mesmo do lulopetismo existir, Roger, querido. Mereceu todas as chibatadas. Reza a lenda que quando o Rubens de Falco tascava o açoite, ele queria tanto uma interpretação real que algumas chicotadas foram de verdade. E a peruquinha nem se mexia do lugar. Que bom, né? Apanhou e sabia o motivo da surra.:)

Meg (Sub Rosa) disse...

Hahahahah!
Sua sádica!
Sua masô!

Você merecia era não apanhar chibatada nenhuma, só como castigo!
;-)))))
Beijos, Marie, querida.

Olha só quando escrevi a resposta ao seu comment, chiaro que nem tinha ainda vindo aqui.
Mas veja só como bate... Bate? ops!

beijos, vc é genia. Sado-masô, mas é;-)

desculpa a brincadeirinha, Ok?

E bela lembrança do George Constanza, aliás meu nome do meio é Georgeconstanza.
M.

Marie Tourvel disse...

Cê tem razão, Meg, é coisa de sado-masô mesmo hahahaha. Acho que o George Costanza é nosso inconsciente... Beijos