2/20/2008

Fidel? Que Fidel? Ah! Aquele ditador fedorento?

Imagine a Maria Aparecida de Aquino (aqui, no melhor estilo, "sou uma bruxa, e daí?") ler este título? Ela ficará com raivinha. E como diz o Reinaldão, Frolic nela. Ela é doidinha pelo charutão do Fidel Cazzo. Eu não ia falar nada sobre o Ca(na)strão, mas acho que vou falar um pouquinho sobre ele, sim. Olha que eu poderia até chamá-lo ícone da bananice, já que foi cogitado que o ditador sangüinário nasceu no Estado do Pará. Mas segue minha opinião sobre ele:
.......................................................................................................................................
.......................................................................................................................................
.......................................................................................................................................

Oito horas e meia de leitura depois...

... pois é isso que eu penso desse desgraçado. Morra!
O que me dói, é que ele ainda teve a chance de dizer: "Não quero mais brincar de ser dono desta ilhota", e que o nosso fóssil stalinista, aquele arquiteto de mierda, disse que a luta continua.
Chega de falar dele. Meu discurso de oito horas e meia cansou minha beleza e a de vocês, naturalmente. Vamos falar agora do Raúl, o Cazzo caçula. Raúl, só tenho um recadinho pra você: vai tomar no... não, não vou completar com cu. Aqui não se fala cu, é muito feio. Cu é só para os mais acostumados a falar cu. Eu não falo cu. Quem quiser ler cu, que vá ler o belo poema concretino do Ruy Goiaba. E o dele é melhor ainda, pois é cú com acento.

Atualização em 21/02/2008: Tomei um monte de bordoada só porque escrevi um mísero palavrão neste post. Teve um amigo que me disse que nunca me ouviu falar palavrão e que eu não deveria ter escrito aqui no espaço. Gente chata, não se pode nem trasgredir um pouquinho? Mas tudo bem, vou ver se me controlo pra não ter que ouvir merda... ops! isso pode, pessoas?

2 comentários:

Meg (Sub Rosa) disse...

Tá pensando que só porque é física e engenheira que ficar abusando do Estado do Pará?
Isso não vai ficar assim;-)
Eu quero discurso!
Speech! Speech!!!!

;-)

O pesoal aqui em casa "gostaram" muito, Marie, mas que cazzo!

Sem beijos.

Marie Tourvel disse...

Ei, Meguinha, briga com a Veja. Eles que disseram em uma reportagem que o Cazzo mais velho teria nascido, possivelmente no Pará. Pra mim o cara não nasceu no Pará, não. Nasceu é no Inferno mesmo. Não conheço ainda o Pará, mas só o fato de você morar aí, deve ser uma delícia de lugar. Vou te visitar, você vai ver. E manda um beijo a todo esse pessoal que "gostaram" dos irmãos Cazzo.
Beijos e mais beijos, querida.