3/21/2008

Nelson Motta, eu te amo!

Dentre as séries bobas que tenho neste blogue, tenho uma que faz tempo que não tasco. "Esse é um dos maiores... um dos grandes..." Outro dia lancei o nome de Nelson Motta. Ninguém comentou. Na época, nem minha mãe lia meu blogue -até hoje ela não lê, a pobre ficaria decepicionada com a filhinha que criou com tanto carinho. Não que hoje eu tenha tantos leitores -até prefiro ter poucos, mas com qualidade, para contrabalançar a falta da mesma em mim. Eu mesma darei agora os adjetivos para o Nelson Motta, mas antes leia isso. Texto curto, porém (ai, porém), preciso. É exatamente o que penso. Só que se eu escrevesse por aqui coisa parecida, seria de um prolixismo enjoado. O Nelsinhho -vou chamá-lo assim, pois ele já parece aquelas pessoas que você encontra na rua e bate um papo gostoso, é uma grande figura. Escreve livros ótimos, produz tanto coisas boas na música, assim como lixinhos -opinião de Marie, não levem em conta. Ele é do balacobaco. Ele acontece de verdade. E pensa. E muda quando tem de mudar. Adoro isso.

Todo mundo sabe que essa é dele. Clica!

Nelsinho Motta, eu te amo!

Adendo: e não me venham com essa história de, "eita, que musiquinha brega" e "ai, que puxação de saco". Querem coisa mais brega do que ilustrar o blogue com o sorriso da criminosa autora do mesmo? Já disse, querem qualidade, beleza, criatchividade, vão pra outro. O meu não é Coca-Cola, mas é isso aí.

10 comentários:

Janaina disse...

Flor, esse texto do Motta está muito bom mesmo. E você, com esse sorrisão, deixou o blog mais bacana. Um beijinho, Jana

Marie Tourvel disse...

Jana, querida, você é que é muito bacana. O blogue ficou, digamos, demasiado humano... (hahaha). Beijinhos

Alexandre, The Great disse...

Acertou em cheio, Marie!
Concordo com tudo que vc diz sobre o "grande" Nelsinho Motta; e ainda acrescento mais uma virtude: é TRICOLOR como eu, logo só pode ser gente boa.
Um beijo,

Marie Tourvel disse...

Ele é tudo mesmo, não é, Alex? Gosto dele de verdade. Essa história de tricolor, não sei. Mas eu gosto do Fluminense, acho um time chique, apesar da terceira divisão -desculpe, não resisti...rsrsrs. Ser tricolor no Rio, é mais sofrido que ser tricolor em Sampa, mas pelo menos ninguém é chamado de bambi por aí, né não? Beijos, querido

Shi disse...

Marie, queridona, eu não aaaaaaaaaamo o Nelsinho não, mas gosto dele, sim! :-D
Agora, as tuas sardas são um chaaaaaaaarme (que complementam, claro, a beleza do sorrisão... rs)
Bjo, boa Páscoa!

Marie Tourvel disse...

Ei, Shi, querida, obrigada. Você é muito educada...rsrsrs. Esse sorrisão já tiro já. Foi um sorriso pros meus leitores mais queridos. E isso inclui você, claro. Beijos e boa Páscoa procê também.

redacaosp21 disse...

Este texto do Nelson Motta ficou muito saboroso. Eu li ontem enquanto tomava o café da manhã.
O começo, a frase do professor, e o grand jeté pro Zé Dirceu...maravilhoso.

Nem toda crônica dele é boa. parece que está começando na crõnica. Tem se saído bem. Crônica pra valer não é simples de construir. Esse texto aí é uma crônica genuína.

...............Na Rádio Eldorado, Nelson Mota tem um trabalho bonito. Aprendo bastante com o programa. O site dele eu acho meio bagunçado.

Enfim, só isso tenho a dizer, Marie . Não vi a foto. Pena.

Marie Tourvel disse...

Claro que não perdeu nada por não ter visto a foto com meu sorriso bizarro. Mas era um sorriso autêntico, viu? Pra vocês, meus leitores queridos. Era só pra mostrar meu momento feliz em todos os aspectos. Um dia, se tiver coragem, volto com ele, tá bom? O Nelsinho só está começando, afinal, é um menino ainda... Beijos

Meg (sub Rosa) disse...

Ah! Marie.... verás que um filho teu não foge à luta;-)
Por favor, mostre, mostre, mostre sim:-)

Um beijo.
O Nelsinho Motta sempre tem raz~]ao, sempre teve e sempre terá.
Sou fã e tiete.
Já a música, ah! Marie, a música mexe muto comigo

Beijos
M.

Marie Tourvel disse...

Bom, né, Megleen? Adoro de verdade o Nelsinho. Ele é do balacobaco. Beijos