3/06/2008

Tudo novo, tudo velho

Olha, leitores hipócritas, meus semelhantes, morri de vergonha nos comentários lá do blogue do Garschagen. Uma querida comentarista disse que achou até bacana meu espaço, mas que a cor preta cansava-lhe as vistas. Consultei as bases, fiz uma comissão, reuniões incansáveis e aí chegamos à conclusão que o fundo preto com letras brancas pequenas cansa as vistas mesmo. Não as minhas. Eu, particularmente, gostava daquele preto. Quebrava um pouco a breguice do blogue. Preto é elegante, chique e como diria Glorinha Kalil, com um pretinho básico você nunca erra. Mas as bases decidiram por isso. Não posso discutir, então peço aos meus três ou quatro leitores que se manifestem. Como preferem?

a) preto, que é chiquééééééérrrrrimo
b) branco, o normal
c) roxo, igual ao Think Wink
d) rosa, igual à Penélope Charmosa -aliás, meu apelido na faculdade
e) azulzinho, igual ao Djavan
f) nenhuma das anteriores -favor citar a cor
g) nenhuma das anteriores -simplesmente pare de escrever nesta pocilga, Marie, você escreve mal pra caramba.
h) não encha nosso saquinho, Marie. Faz o que quiser, eu não leio mesmo.

Bem amiguinhos da Rede Grobo, espero ter ao menos uma respostinha, está bem? Agora, não pensem vocês que mudarei o enfoque sério do blogue. Bananices, breguices e outras ices estarão por aqui. Só mudei a cor, minha inteligência limitada continua a mesma.

4 comentários:

Philippe disse...

Tanto faz... estou lendo pelo Google Reader! ;)
Aliás, tmb vim parar aqui pelo blog do Garschagen.

Alexandre, The Great disse...

Minha opção é a); embora eu a ache chiquéééérrrriiiimaaaa com qualquer cor.

Grande Beijo!

Marie Tourvel disse...

Oi, Phillippe, querido. É um prazer recebê-lo por aqui. Não repare a bagunça, tá? Claro que tenho vergonha em receber os sempre inteligentes leitores do Bruno, mas saiba que por aqui encontrará todo carinho do mundo, viu? Um beijo e volte sempre.

Marie Tourvel disse...

Pensei que você não fosse palpitar, Alex. Eu já estava fazendo biquinho, querido. Anotada sua preferência. E, obrigada. Com este chiquééééérrrrriiiiima me vejo como a própria Rita Cadilac, a rainha do Carandiru. É a glória. Beijos e mais beijos.