4/19/2008

Cláudio Cavalcanti é vanguarda.

Olha, a tal da Mulher Melancia acha que está inovando. Que nada! Inovação mesmo foi o que esse moço -pobre moço, fez nos idos de 1977. Ele foi o primeiro a dar o tal do créu na melancia. Um filme de muito bom gosto, que naturalmente a Embrafilme bancou com nosso dinheiro -quer dizer de nossos pais, já que eu era pequenina e vocês talvez nem eram nascidos. Quem diria que este homem abraçando animais e criancinhas, se candidatando a vereador, seria o primeiro a dar um créu na melancia? Que vergonha, hein, Seu Cráudio?

6 comentários:

Léo e só disse...

oi Marie.

Dom pelo menos nessa época os filmes eram qo que eram, mas não se levavam a sério.

( grande Zé com sua obra sem sentido)

depois da retomada é que o negócio ficou feio. todo filme quer ser uma aula de sociologia, e os que não querem, vide globo filmes, não desgrudam do ossinho.

ai que saudade dos empreendedores como Mazzaropi, os italianos da Vera Cruz ou o povo da boca do lixo de São Paulo, esses últimos nunca enganaram ninguém com o peixe que venderam e sustentaram muito gente, alguns metidos a besta como o Juca de Oliveira, na época da ditadura.

abs

Marie Tourvel disse...

Também adoro o Coffin Joe, viu, Leo? E concordo em gênero, número e grau com o que está dizendo. Pelo menos naquela época o Peréio falava "porra" como vírgula e era "porra" mesmo. Não um tratado sociológico da palavra "porra" para esquerdizar a massa. Não tínhamos um Jorge Furtado fazendo propagandinha do petismo e muito menos o Guilherme Fontes de Renda fazendo seu não-filme (se bem que esse fez um bem para a humanidade não filmando nada, né?). E viva a melancia do Claudio Cavalcanti!

QuincasB disse...

o filme é uma delícia, paquetá nunca esteve tão graciosa e, contextualizando, a melancia foi a moreninha dos anos, digamos, digamos, dourados

Marie Tourvel disse...

Olá, Quincas, querido. Que bacana sua visita. A Moreninha dos anos dourados... Adorei isso. Não repare a bagunça e volte sempre, viu? Beijos

Regina disse...

Olha, não vi o filme,mas vi fotos da dita cena.Não acho que seja uma vergonha ele ter atuado dessa forma, afinal ele é um ator. E esse fato não o diminui como defensor dos animais. Conheço o seu trabalho ( e da sua filha) e o admiro muito. Precisava dizer isso, já que o estigmatizaram com essa besteira. Os atos na vida real são muito mais importantes. Abraços!

Marie Tourvel disse...

Regina, foi só uma piada. Gosto muito do Claudio Cavalcanti. Foi só uma ironia, ok? :)