4/29/2008

Ícones da Bananice (8)

Bolinha e Fernando

Silvio Berlusconi Santos e Fernando
Irmão da Bestânia e Fernando
Um monte de gente horrorosa, inclusive Luís Caldas e Odair José e Fernando
Chacrinha e Fernando

Ei, voltei com minha série. Não gostam dela? Eu gosto, então continuarei. Sabe como é? Vocês repararam que ando meio triste, cabisbaixa, mas hoje estou com raiva, muita raiva. Tinha esquecido de declarar meu Imposto de Renda, e depois do porre da declaração só me resta sorrir um pouquinho. Hoje vou falar de um ícone de respeito, um cara bonito que só vendo: Fernando Mendes. Destacou-se na década de 1970 com "Cadeira de rodas", que vendeu mais de um milhão de cópias e foi executada nas rádios de todo o país -para provar que bananeiro compra e ouve qualquer droga.
Entre os prêmios que ganhou, está um disco de ouro e o prêmio Villa Lobos -coitado do Villa, olha só como usam o nome dele, de disco mais vendido de 1979 com a música "Você Não Me Ensinou a Te Esquecer", música gravada recentemente por ninguém mais, ninguém menos que o filho mais famoso de Santo Amaro da Purificação, o mano Caetano, filho de dona Canô e... sei lá eu o nome do infeliz do pai dele e da Bestânia. Aliás, o Caê adora gravar essas músicas bacanérrimas. Ele acha que em sua voz a música vira cult. Tenha dó, Caretano. Lembram-se de Sonhos e Sozinho do Peninha? Peninha? esse aí merece um post solo. Aguardemmmm. Voltando ao Fernando, fez shows no Brasil e no exterior e participou de variados programas de televisão -já sabem, né? aqueles manjadíssimos Chacrinha, Bolinha, Carlos Hey Hey Aguiar, Darcio geração chanti Campos (estes últimos, provavelmente só o ao mirante, meu ao mirante deve conhecer). Atualmente continua compondo e se apresentando nos palcos brasileiros. Não sei em quais palcos e se souberem, por favor, não me contem, não me contem.
A letra:

Cadeira de Rodas

Sentada na porta em sua cadeira de rodas ficava
seus olhos tão tristes sem ter alegria
tão triste chorava
mas quando passava a sua tristeza chegava ao fim
sua boca pequena no mesmo instante sorria pra mim

Aquela menina era a felicidade
que eu tanto esperei mas não tive coragem
e não lhe falei do meu grande amor
e agora por onde ela anda eu não sei

Hoje eu vivo sofrendo e sem alegria
não tive coragem bastante pra mim decidir
aquela menina em sua cadeira de rodas
tudo eu daria pra ver novamente sorrir


A música:




Bom, se conseguiu ouvir a música (sic) até o fim, acaba de ganhar um vinil do Fernando Mendes, primeira edição. Mande o endereço que talvez eu envie. Tudo depende se eu encontrar na Durval Discos.

9 comentários:

Anônimo disse...

Quem diz o que quer, ouve o que não quer.

Com estes comentários você se passa por uma pseudo-intelectual. Engana a si mesma. Ridicula e sem conteúdo. Ai, dos bananeiro para a intelectual, se és tão inteligente. Chupa esta manga:

Quando você escreveu o "texto" estava de borracheira e parecendo uma gabola. Você nada mais é do que uma Jacurutu que infuca palavras vãs nas mentes brilahntes deste nosso povo.

Saia do seu munidinho, menina. Conheça o Brasil, os brasileiros e não somente o seu grupinho. Bananeiro também é tu.

Marie Tourvel disse...

Olá, anônimo, tudo bom? Eu não me passo por pseudo-intelectual, não. Simplesmente eu não sou e nem pretendo ser uma "intelequitual". Meu conteúdo, obviamente não mostro a anônimos como você. Tenho a quem mostrar não se preocupe e sei que sou ridícula, afinal, todos nós somos, não é? Olha eu chupo só metade dessa manga, pois sou uma fanfarrona mesmo, mas me chamar de orelhuda... faça-me um favor, né, moço? Minha orelhinha é super pequenina, uma gracinha mesmo. Onde tem mente brilhante no Bananão? Cê me mostra? Bananeiro eu conheço bem, já que sou uma meia mussarela, meia calabreza. Mas eu não saio do meu mundinho, não. No meu grupinho, ao menos sabem escrever direito, viu? Eu não sei tão bem, mas eles me ensinam. E querer aprender já é um bom começo. Um abraço, anônimo.

Léo e só disse...

oi Marie.

aí esses anônimos, tsc,tsc! :(

Mas ao assunto: Poxa, esse Fernando é a cara, ou metade da cara, do "Sá - Guarabira", que todos sabem, é uma entidade igual a SandyJunior ou Banda cheiroqualquercoisa. :D!

abs

Léo e só disse...

oi Marie.

aí esses anônimos, tsc,tsc! :(

Mas ao assunto: Poxa, esse Fernando é a cara, ou metade da cara, do "Sá - Guarabira", que todos sabem, é uma entidade igual a SandyJunior ou Banda cheiroqualquercoisa. :D!

abs

Marie Tourvel disse...

Podia ter escrito ao anônimo o lema que surrupiei do Goiaba, mas não vale a pena, né, Leo? É verdade, o Guarabira é uma entidade mesmo, assim como o Carrapicho. Adorei que veio por aqui. Aparece sempre, tá bom? Beijos e mais beijos, querido.

Léo e só disse...

ora, você sabe que sempre apareço:)!

absão

Marie Tourvel disse...

Eu sei, Leo, eu sei. É só pra reforçar.;) Mais beijos

Anônimo disse...

Você pediu para ser maltratada, não foi? Não a maltratei. Sou um verdadeiro GOR e trato bem o que aprecio.

Beijos, meu anjo.

Marie Tourvel disse...

Não, Anônimo querido, não é pra me maltratar, não. É só uma brincadeirinha. Desculpe minha momentânea ignorância -na verdade, não é momentânea, não, mas não conte a ninguém, o que é GOR, mesmo (não sei onde está a interrogação neste teclado) (Marie sorrindo pra você). Sabe que por um momento pensei que você fosse alguém que eu conhecesse (interrogação) Em todo caso, anônimo, querido, um beijinho pra você.