5/23/2008

And I feel fine

Sabem aquelas coisas que você acha que jamais irá acontecer, mas se pensa na possibilidade que ela ocorra, acha que vai morrer? Que não vai suportar? Que o mundo não valerá mais nada? Descobri que não é bem assim, não. Uma vez escrevi aqui no blogue, logo no começo dele, um post chamado "Morro mais no dia de hoje". Era pura ficção. Brincava com essa frase que escrevi na adolescência. Na época havia escrito o seguinte: "...se dizem que morremos um pouco a cada dia, morro mais no dia de hoje..." Achou tosco? Sim, eu também. Lendo isso hoje acho absolutamente ridículo. Por isso que escrevi como título de post e na época, era pura ficção. Pura diversão. Teve gente que acreditou. Teve gente que me cobrou, achando que o post tinha direção. Me diverti muito na ocasião, pois passei verdade. Isso quer dizer que as pessoas acreditam no que elas querem que seja verdade, não é isso? Pois é, agora escrevo de verdade, morro mais no dia de hoje. Isto não é ficção. Mas o mundo ainda vale alguma coisa. Ainda suporto mais algumas coisas. Não morro disso, não. Ninguém morre literalmente por perder algo ou alguém. O mote de que morremos um pouco a cada dia é fato, mas tem dias que morremos um pouco mais que nos outros, só isso. Perdemos pessoas que nos são caras, que nos são queridas. Perdemos um pouco mais do brilho no olhar, um pouco mais do sorriso. Mas não morremos totalmente. Entendo que há situações em que se prefere morrer totalmente, mas não é meu caso. Por nada. Nada e nem ninguém valeria minha miserável vida. Quero continuar minha vidinha. Medíocre ou não, é minha e ninguém tasca. Sabem aquele meu sorriso bizarro? Pois é, imaginem que estou agora com ele em meus lábios, pois não choro mais. Acho que nem chorar vale a pena. Já sei qual é o mecanismo. Por qual motivo, então, se lamentar, desperdiçar lágrimas, não é mesmo? Quero diversão. E nada melhor para se divertir do que se reunir com amigos divertidos. Amanhã é dia. Antigos colegas do antigo trabalho vivem me chamando e desta vez, aceitei o convite -éramos três, Mimi, Cocó e Penélope. Mimi, meu amigo mais doido, hoje é pai de família; Cocó, amigo que eu chamava de Gardenal, se casou e Penélope, eu, já nem sei o que sou. Então, nos reuniremos para, além de relembrar velhos tempos do trabalho -que nos divertia muito, sair um pouco do ar. Preciso sair do ar, sair do mundo. Dura pouco tempo essa saída, mas é melhor que ser fria como daqui a pouco tempo terei que ser. O conselho que me deram hoje foi esse: seja fria. Serei, meu caro, serei. Aprendi a lição muito rápido. Amanhã me afogo na letargia para esquecer a frieza. E como não posso deixá-los sem uma musiquinha, tasco novamente R.E.M.. É deliciosa essa música e é o espírito de hoje. Ouça, acompanhando a letra. É divertidíssimo:

That's great! It starts with an earthquake;
Birds and snakes, an aeroplane,
And Lenny Bruce is not afraid.
Eye of a hurricane, Listen to yourself churn,
World serves its own needs,
Dummy serve your own needs.
Feed it off an ox, speak, grunt, no, strength,
The Ladder start to clatter witha fear
Fight down, height.
Wire in a fire representing seven games,
And a government for hire at a combat site;
Left of west and coming in a hurry with the furies
Breathing down your neck.
Team by team reporters, baffled, trumped, tethered, cropped.
Look at that low plane.
Fine, Then.
Uh-oh. Overflow population, common food,
But it'll do to save yourself, serve yourself.
World serves its own needs,
Listen to your heart beat,
Dummy with a rapture and the reverend and the right, right.
You vitriolic, patriotic, slam, fight, bright light,
Feeling pretty psyched.

It's the end of the world as we know it
(It's time I had some time alone)
It's the end of the world as we know it
(It's time I had some time alone)
It's the end of the world as we know it
(It's time I had some time alone)
And I feel fine

Six o'clock-- T.V. hour
Don't get caught in foreign towers.
Slash and burn, return.
Listen to yourself churn.
Lock it in, uniforming, book burning, blood letting.
Every motive escalate.
Automotive incinerate.
Light a candle, light a votive.
Step down, step down.
Watch your heel crush, crushed, uh-oh,
This means no fear cavalier, renegade steer clear!
A tournament, a tournament, a tournament of lies!
Offer me solutions, and offer me alternatives, and I decline!

It's the end of the world as we know it
(It's time I had some time alone)
It's the end of the world as we know it
(It's time I had some time alone)
It's the end of the world as we know it
(It's time I had some time alone)
And I feel fine

The other night I dreamt of knives,
Continental drift divide,
Mountains sit in a line.
LEONARD BERNSTEIN,
Leonid Brezhnev, Lenny Bruce and Lester Bangs.
Birthday party, cheesecake, jelly bean, BOOM!
You symbiotic, patriotic, slam, bug, net, right?
Right.

It's the end of the world as we know it
(It's time I had some time alone)
It's the end of the world as we know it
(It's time I had some time alone)
It's the end of the world as we know it
(It's time I had some time alone)
And I feel fine...fine...

R.E.M. - It´s the end of the world as we know it (and I feel fine)


Isso sim é uma delícia. Nada mais prazeroso do que rir de nossas próprias mazelas.

4 comentários:

A. disse...

"Gam Zeh Yaavor"
Isso também passará.

Marie Tourvel disse...

Passa, né, querida? Tudo passa, mesmo. E sua mensagem, amiga, é muito importante, viu? Adoro quando dá uma passadinha por aqui. Um beijo

QuincasB disse...

bonjour, marie

Marie Tourvel disse...

Bonjour, Quincas, querido. Que saudade do seu bonjour... Beijos