6/03/2008

Ícones da Italianice

Ouçam que cafona. Ouçam que brega. Ouçam que verdade. Renato Russo, talvez no momento mais pizza Manfredi de sua carreira. Carambolas! A letra tinha que ser bregamente verdadeira? Depois de um período -espero não longo, podem quebrar esse disco, tá? Não fará a menor falta.



Ó, para aqueles que desconhecem a língua do Silvio Santos Berlusconi, tasco uma tradução. Se bem que o italianíssimo Manfredi tem uma pronúncia tão capenga que quase dá para entender tudo. Ô.

Me desculpe, mas devo ir embora
Eu sabia que era uma mentira
Quanto tempo Perdido atrás de você
Que promete e nunca muda
Estranhos Amores que nos colocam em problemas
Mas na realidade somos nós.

E na espera de um telefonema
Brigando para que esteja livre
com o coração no estomago e um nó na garganta
ali sozinho, dentro um arrepio, mas porque ela não esta
E são estranhos amores que nos fazem crescer e sorrir entre lágrimas
Quantas páginas para escrever, sonhos livres para dividir.

E são amores normais a esta idade
que se confundem dentro da alma
que se interroga sem se decidir
se é um amor para nós
e quantas noites perdidas a chorar, relendo aquelas cartas
que não consigo jogar fora no labirinto da saudade
grandes amores que terminam
mas porque ficam no coração

Estranhos amores que vão e vem
nos pensamentos se escondem
histórias verdadeiras que nos pertencem
mas se perdem como nós

Amores estranhos, frágeis
prisioneiros livres
amores estranhos que nos colocam em problemas
mas na realidade somos nós

São amores estranhos que não quero viver
me desculpe, mas devo ir embora
desta vez é uma promessa
porque eu quero um amor verdadeiro
sem você.

Ei, calma aeê. Não precisam jogar batatas em minha cabeça. Tá, tá bom. Ao vencedor, as batatas. Pensem nas risadas internéticas (rsrsrs, ehehehe, hahahaha). É o que estão fazendo comigo agora. Mas até ser motivo de tiração de chinfra pode ser bacana. Rir dos outros é bom, mas rir de si mesmo, não tem preço (quero minha grana pela propaganda, Mastercarde)

2 comentários:

Sabesselá Quem disse...

Marie,

Adoro essa música, tenho o CD e não quebro...
Como não entendo italiano, para mim, é como se ele estivesse fazendo uma declaração, daquelas que dão arrepiooouwwww!É vero. rs...

Beijo.
:)

Marie Tourvel disse...

Essas italianices, sabesselá, vou te contar, viu? Esses italianos -e aí me inclua nessa, são todos uns passionais. Amam profundamente. Viu a tradução, né? Per amore, per amore... Beijos