6/20/2008

O Captain, My Captain

O Captain, My Captain - Walt Withman

O Captain my Captain! our fearful trip is done;
The ship has weather’d every rack, the prize we sought is won;
The port is near, the bells I hear, the people all exulting,
While follow eyes the steady keel, the vessel grim and daring:

But O heart! heart! heart!
O the bleeding drops of red,
Where on the deck my Captain lies,
Fallen cold and dead.


O Captain! my Captain! rise up and hear the bells;
Rise up—for you the flag is flung—for you the bugle trills;
For you bouquets and ribbon’d wreaths—for you the shores a-crowding;
For you they call, the swaying mass, their eager faces turning;
Here Captain! dear father!
This arm beneath your head;
It is some dream that on the deck,
You’ve fallen cold and dead.


My Captain does not answer, his lips are pale and still;
My father does not feel my arm, he has no pulse nor will;
The ship is anchor’d safe and sound, its voyage closed and done;
From fearful trip, the victor ship, comes in with object won;
Exult, O shores, and ring, O bells!
But I, with mournful tread,
Walk the deck my Captain lies,
Fallen cold and dead.


Sim, poema manjado do Withman pro Lincoln. Mas confessem que vocês adoraram quando o canastrão do Robn Williams declamou isso no Dead Poets Society.

Façam o seguinte, depois de lerem esse poema, vão para o enfant ler este. Acho que é o post mais presença de espírito, e de alma, e de cabeça, e de tudo, que já li.

E, claro, como não poderia deixar de ser, tasco uma musiquinha em homenagem a um blogue que fiquei conhecendo através do Arrastão -esse nem preciso falar que tem que entrar todo dia, né? Trata-se do ótimo A mão visível do economista Alexandre Schwartsman. Não sou besouromaníaca, mas gosto, certo?

The Beatles - Yesterday

8 comentários:

vitor hugo disse...

Agora não, agora não posso querida, mas tenho certeza, de que: UN BEL DI VEDREMO!

Alex disse...

Muito legal Marie. Obrigado pela parte que me toca (e pelo que você toca aqui também).
Bjs
Alex

Marie Tourvel disse...

Perdoe-me, Vitor, mas não entendi nada, viu? Acho que meu tico e teco não está funcionando ultimamente. Mas mesmo assim, lhe mando um beijo.

Marie Tourvel disse...

Ei, Alex, querido, obrigada pela visita. Espero que não repare na bagunça. Que bom que tenha gostado da musiquinha, viu? Seu blogue é ótimo. Um beijo.

vitor hugo disse...

Sabe Marie, peço-lhe desculpas por não ter sido nais claro com você, mas a verdade é que estou muito doente, e quase desenganado, pois adquirí uma forte pneumonia quando estive ultimamente em Manaus, e se não escrever mais pra você, é porquê já estarei no elisio, e lá vou encontrar-me com todos(as) meus amigos. Estou escrevendo pra você, na cama no meu lap top. Parece que minha esposa vai comigo também, pois sofreu um grave acidente de automóvel, e furou os pulmões. Tomara que a situação volte ao normal. Agora, você entendeu não é?

Rover disse...

Sintonia: tb postei sobre poesia. Sobre os besouros, difícil não cair no clichê, neam? Enfim... tamo junto e misturado.

Marie Tourvel disse...

Nossa, Vitor, quanta desgraça. Mas você e sua esposa sairão dessa, tenho certeza. Não será desta vez que nos deixarão. Um grande beijo e melhoras para os dois.

Marie Tourvel disse...

Oba, o Seleta de Prosa tem post novo. Vou pra lá agora. Os Besouros sempre caem no clichê, fazer o quê? Mas é tão bom "ver" você por aqui. E constatar nossa sintonia. Um grande beijo e até já no Seleta.