7/14/2008

Colomba Pascal

Se meus 4 ou 5 leitores sumiram com meus últimos posts, imaginem agora que resolvi escrever sobre Literatura, Filosofia, Matemática, Física e Derivados -com letra maiúscula também que os derivados são importantíssimos. Agora estará do jeitinho como comecei este blogue, sem ninguém visitando este muquifo. A não ser eu mesma, pois só eu entendo minhas opiniões e digressões sobre variados assuntos. Aliás, sou a pessoa mais sem graça do mundo em matéria de opinião. Hoje, conversando com uma amiga, ela citou um cracaço que escreve sobre literatura e disse que se a gente se comparar aos medalhões, nunca comenta mais nada. Eu só digo uma coisa, pra mim chega de ficar respeitando "vaca sagrada" da blogosfera. Eles também não me respeitam, então tenho para mim que aqui é meu espaço com muito orguuuuulho, com muito amooooooôr.

Dizer que faço uso só de Pascal para pensar, seria uma grande bobagem. Afinal, como bem disse Borges, "Não há nada, certamente, no universo que não sirva de estímulo para o pensamento..." O que serve pra mim, não serve para o outro. Se usar a leitura de Pensamentos para pensar, devo concluir que Minutos de Sabedoria, também me faria refletir. O bom do livro é que são pensamentos que servem para ele, Pascal. Que passamos a conhecer o que pensa ele, Pascal. E como conduziu sua vida. Só. E que nem sempre reflete o momento, a angústia, o sofrimento universais. E que nem sempre reflete o encontro com o Deus de cada um. O Deus é dele, ninguém tasca. Cada um faz a leitura que quiser. A interpretação que quiser. O livro de Pensamentos de Blaise Pascal é ótimo de se ler e reler. Mas nada que nos faça refletir a ponto de dizer que se dá o encontro com a Força Maior. Antes de ler pela primeira vez este livro há muitos anos, o que conhecia de Pascal era seu Princípio que diz que em um líquido em repouso ou equilíbrio as variações de pressão transmitem-se igualmente e sem perdas para todos os pontos da massa líquida. É o princípio de funcionamento do macaco hidráulico. Entre o Pascal do princípio do funcionamento do macaco hidráulico e o que diz num de seus pensamentos que "O Eclesiastes mostra que o homem sem Deus fica na ignorância de tudo e numa infelicidade inevitável, pois é ser infeliz querer e não poder. Ora, ele quer ser feliz e estar seguro de alguma verdade. E, no entanto, não pode nem saber nem não desejar saber. Nem mesmo pode duvidar." , fico com o macaco hidráulico, óbvio. Mas sempre é bom lembrar que ele escreveu "Quantos reinos nos ignoram!", ou "Tão corrupta ou ignorante é a Inquisição.", ou ainda "Temi que tivesse escrito mal ao ver-me condenado, mas o exemplo de tantos piedosos escritos faz-me acreditar no contrário. Não é mais permitido escrever bem."

Adendo: Tenho a impressão que qualquer dia encontrarei na Folha de São Paulo a seguinte manchete: "PF acusa Diogo Mainardi de bobo e feio". E como sub-título "O delegado da PF se diz convicto da bobeira e feiúra do colunista da Revista Veja, motivo pelo qual pede sua prisão preventiva." Aí, caberia aos jornalistas e policais federais a leitura de Pascal -ou releitura. Não para pensar, mas para relaxar.

17 comentários:

Philippe disse...

Eu sei que Pascal criou a Pascalina, a precursora da HP48G. Francês fera este Blaise!
E infelizmente, esta manchete não está longe de acontecer. Desanimo danado de viver no Bananão. A única coisa que me diverte ultimamente são as seqüências de direita, esquerda, jab, jab, gancho que o mascate está levando.

Léo e só disse...

oi Maire.

Há, esse leitor perde não! E olha, que volta hein!

Só esse principio do macaco, nossas é de cozinhar o teto do corpo!

Realmente a questão do comentário pode até diminuir, mas a leitura, sei não, eu espero e quero que só aumente.

Afinal, tem que parar e pensar um pouquinho. Sei, acho, que a idéia do homem e a natureza para ?Pascal é importante, mas o macaco hidráulico.

Poxa, quanto a vida monótono, sei não, mas tem hora que cansa a vida loka. hehehe

abs

Marie Tourvel disse...

Fera mesmo esse Blaise viu, Philippe. Eu acho que ainda veremos essa manchete. E acho que será uma manchete apenas. Nada de repúdio por parte nem de quem escolhe a manchete e nem de quem escreve a reportagem. Tudo em nome da isenção. Ah, tá! Mas eu adoro quando batem no mascate. Bom, né? Feliz por ter vindo aqui. Beijos, querido.

Marie Tourvel disse...

Ai, que bom, Leo, "ouvir" isso de você, meu fiel leitor. Vem sempre mesmo, viu? O macaco hidráulico é primordial mesmo. ;) Acho que os comentários irão minguar, mas só o fato de ter você e o Philippe que comentou logo acima e mais um elogio bárbaro de uma jornalista com J maiúsculo pra mim, já ganhei o dia, viu? O objetivo deste blogue nunca foi sucesso ou audiência, mas prazer, treino na escrita e tentativa de sair da burrice. Acho que prazer eu tenho. A escrita, venho treinando com afinco. E sair da burrice... bem, isso não poso dizer que tenho tanto sucesso, não... mas a gente tenta, né? E, repito, monotonia, eu quero uma pra viver... Beijos, querido.

Rose Marinho Prado disse...

eu leio e fico quieta...

Marie Tourvel disse...

Olá, Rose, querida. Eu leio e comento, opino. Fiquei quieta muito tempo achando que os maravilhosos eram sempre os outros. E são. Mas aqui posso falar, posso opinar, enquanto não vier o lobo mau, claro. A monga, aqui, afinal, tem algo a dizer, mesmo que seja alguma porcaria qualquer. Um grande beijo, querida e volta mais, viu?

Rose Marinho Prado disse...

Fico quieta porque fico pensando a respeito do que você falou. É isso.

Beijos

Marie Tourvel disse...

Ei, Rose, querida, eu entendi, sim. Acho que minha resposta nem foi só pra você, viu? Mas acho que se você está pensando sobre o que eu penso e falei, já fico feliz. E logo de você, uma mulher tão inteligente, terei que me esforçar mais para tirar algo deste cérebro meio que letárgico. Vamos ver o que consigo para hoje. Um grande beijo e muito feliz por você estar acompanhando meu bloguinho, viu?

Lelê Carabina disse...

Buenas, estou por aqui, vou ler mais e comentar menos por hoje, bjos! =)

Alexandre, The Great disse...

Oi, Marie!
Chiiii... vc tá muito "complicada". Descomplique-se, menina!
Te adoro, viu? Só lamento não ter tido muito tempo para ficar diante da telinha visitando os amigos, afinal alguém tem que "carregar o piano neste país".
Um beijo, querida e não fique muito "encucada", isso dá rugas (rsrs).

Lelê Carabina disse...

Ai Marie, acho que os medalhões estão aí para serem admirados e para servir de fonte de aprendizado e inspiração! Mas daí que eu também às vezes caia nessa de me comparar, o que obviamente me fazia ficar bem murchinha... Como se diz por aí, [não] seja boba guria! rsrsrs Eu não li Pascal ainda (eu perdi muito tempo com outras leituras...), está na minha lista branca de livros rsrsrs bem, eu já ficaria com o Pascal do Eclesiastes! Beijos. Ah, vão ter que arrumar outro adjetivo, porque feio o Mainardi não é né! hehe

Marie Tourvel disse...

Alex, querido, você não viu nada. Quando tiver um tempinho leia meu último post. Não está muito complicado, não. O Blaise é do balacobaco, principalmente seu Teorema. ;) Quanto às rugas, eu tenho uma só na testa, uma única que me persegue e ela tem nome. Eu a chamo de burrice. Um grande beijo e vê se coloca esse piano no chão de vez em quando pra me visitar, tá?

Marie Tourvel disse...

Ah, Lelê, é tão bom ler, não é? Eu sempre admiro o que uma vaca-sagrada escreve em seu blogue, claro. Afinal, não é de graça que são considerados medalhões, não é? Só não quero perder minha identidade com medo que eles me chmaem de monga dando risadinhas sarcásticas, só isso. Eu sempre os leio. O único verdadeiro e genuíno medalhão que conheço é bonitão Diogo Mainardi. Ele não precisa nem me chamar de monga e nem dar risadinha sarcástica. O sarcasmo, que é uma delíca, é natural nele. E de monga, se ele tiver que me chamar algum dia, é porque merecerei. Minhas reverências a ele. E eu sei, Lelê, querida, a escolha pelo macaco hidráulico é de lascar, mas sou assim mesmo. Obrigada pela visita e um grande beijo.

Marcelo Lopes disse...

Oi, Marie!
Já eu, na condição de um dos seus leitores, acho estes assuntos ótimos, sempre há quem queira ler a respeito. Especialmente eu, que estou tentando sair de uma fase meio, digamos, pop.
A propósito, para quem está interessado nos Pensamentos de Pascal: http://www.ebooksbrasil.org/eLibris/pascal.html
Prefere em PDF? Pois não: http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/pascal.pdf

Abraços!
Marcelo.

Marie Tourvel disse...

Ei, Marcelo, querido. Não sabe como é bom recebê-lo por aqui. E ainda por cima dizendo que gosta desses assuntos. É o que gosto também. É o que me deixa feliz. E eu acho que estou saindo de uma fase meio boba mesmo. Muito obrigada pela força e pelos links. Estou indo pra lá agora. Beijos.

Meg disse...

Minhanossa, mas como reclama; vejo o blog sempre muito comentado, as pessoas deixando mensagem de amor de amizade...
Ora, Marie... seja qual o assunto sobre o qual escrava, você sabe...Marie.
Um beijo
M.

Marie Tourvel disse...

Megleen, querida, mas você sabe que se muita gente vem por aqui, é graças a você, né? Quem foi minha maior incentivadora? Você, minha grande amiga. Tenho um carinho todo especial por você, viu? Um grande beijo.