10/18/2008

Guerra Civil

Uma pessoa pela qual tenho um imenso carinho me apresentou a este poema de Miguel Torga. Chama-se "Guerra Civil". Eu gostei tanto que resolvi recitar com minha voz de rinite crônica. Esqueçam a voz e a entonação e prestem a devida atenção no conteúdo:



Um bom "saturday night fever" pra todos. Quando digo todos, é pra você aí do fundão escondidinho, também. ;)

18 comentários:

Rose Marinho Prado disse...

Belo!

Marie Tourvel disse...

Lindo o poema, né, Rose, querida? Eu fiquei apaixonada quando li. Um beijo!

Janaína disse...

Sua voz é linda, assim como o poema. Faça mais. Eu adoro. Beijo.

Marie Tourvel disse...

Vejam, caros leitores, como é bom ter amigos assim como a Jana. Ela diz que minha voz de rinite é linda. Querida, você é uma amiga do coração e hoje me emocionou lá no iogurte, viu? Beijos!

Rose Marinho Prado disse...

Se iogurte for orkut ....me chama.

Marie Tourvel disse...

Claro que chamo. aí você vai descobrir minha identidade secreta... ;)
Vou agora lá te procurar, tá? Beijos, querida

Sabesselá Quem disse...

Oi Marie,

Lindo mesmo... quem é que não vive assim, nessa guerra e paz... ai ai... ô vida!!

Bom finde pra você.



Beijos!
:)

Marie Tourvel disse...

Lindo, né? sabesselá?
Bom fim de semana pra você e te espero amanhã no Sunday Morning. ;)


Beijos!

Philippe disse...

É incrível como me enxergo nestas palavras.
Marie, Marie, tenha um ótimo "saturday night fever", porque o meu vai ser bem chato.
Um beijo.

Marie Tourvel disse...

Philippe, querido, este poema é profundo mesmo.
E sabe de uma coisa? Meu saturday night fever estava uma chateação só. Mas com sua presença aqui no Letras, tudo melhorou, já volto a sorrir novamente. ;)
Se ler esta minha resposta ao seu comentário, me manda um e-mail, tá bom? marietourvel@gmail.com
Beijos!

Léo e só disse...

oi Marie

que poema e que vozão , hein?

daqueles de femme fatale de noir dos anos 50 pronta pra desconjuntar a vida do pobre detetive particular.

Brincadeiras à parte, eu gosto é muito.

que bom visitar esse canto.

abs

Marie Tourvel disse...

HAHAHAHAHAHAHAHA! Só você, Leo, pra falar isso pra mim, viu? Femme Fatale, eu? Ai, ai, ai... Mas, adorei o comentário, óbvio. Sabe, Tássia? Tassiachando? hahahahahaha
Eu que gosto de receber sua visita e adorei você sem a barba, viu? Acho que a Nanci também aprovou, não é? ;) Um beijo pra você e pra ela, tá? Tava com uma saudade dos seus comentários...

QuincasB disse...

dançar não basta, canta no meu ouvido? bonjour, marie

Marie Tourvel disse...

Eu canto, Quincas. E você, o que canta no meu? ;) Bisous et bonjour.

ana v. disse...

Querida, que bela ideia, essa de dizer o poema em vez de postá-lo por escrito! Adorei.

Grande beijo, Marie.

Marie Tourvel disse...

Ana, minha querida, eu gosto disso também. Gostei da brincadeira. Gostaria de recitar um poema seu por aqui. Você escolhe qual, está bem? ;) Beijos!

Megleen disse...

Lindíssimo o poema dito por você.
Realmente, belíssima idéia.
Como é que se grava, por favor, me diga por email...
Ficou fantástico.
beijos
M.

Marie Tourvel disse...

Megleen, querida, com sua voz ficará ainda melhor, tenho certeza e eu lhe envio um e-mail ensinando. Aprendi a duras penas e morrendo de vergonha de perguntar, mas aprendi e ensino a você. Quero ouvir um belo poema com sua voz lá no sub rosa, tá bom? :)

Beijos!!!