11/15/2008

Ausência

Ausência - Borges

8 comentários:

Sabesselá Quem disse...

Oi Marie,

Onde?
Caiu como uma luva...
Por que caminhos anda o sentimento de um poeta que alcança tão perto da gente.
É cruel mais linda.

Um beijo e bom domingo!
:)

Marie Tourvel disse...

Pra você também, querida. Um ótimo domingo!
Beijos

Rose Marinho Prado disse...

Será que existe alguém cuja ausência seja tão sentida? Coisa de poeta.

( inveja. jamais sentiram minha ausência...kkk)

Bela leitura, Marie,tom certo, sem sentimentalismos.

Marie Tourvel disse...

Acho que existe sim, Rose, querida. É que acredito que o poeta sabe se expressar com uma dramatização maior, usar as palavras de forma mais impactante.
Acho que o poema já é carregado de sentimentalismo o suficiente. Não precisa recitá-lo com os lábios tremendo, não é assim? :)))
Obrigada.
Um beijo.

Rose Marinho Prado disse...

Há há há...

Gostei de "os lábios tremendo"...

Gostei, não, adorei, há há há...

Boa!!!

Marie Tourvel disse...

O que não pode é ser piegas, não é assim, Rose? :))))

Beijinhos, querida.

ana v. disse...

Maravilhoso Borges, Marie. E muito bem dito!

beijinhos

Marie Tourvel disse...

Obrigada, Ana, querida. Eu gosto demais de Borges. Este poema tem um significado especial para mim.

beijinhos