11/18/2008

Vou apertar. Mas não vou acender agora.

Conheci pilantras com aura de inteligentes. Para o "malandro consciente", nada melhor que um bom Bezerra da Silva:



"O safado só sabe fazer covardia. Ele come no prato contigo, vê o teu contato e depois denuncia." Edificante e dá pra aplicar num amontoado de fatos da vida. Podem contestar, mas Bezerra da Silva é um dos maiores filósofos que o Bananão já produziu.

Querem outras máximas dele? "Malandro é malandro. Mané é mané." Ou, "Aí gente boa, se não tem intimidade com caneta mete o dedão no papel que tá assinado nosso acordo." Ou, "Se liga, mané, que o gol foi contra." Ou, "Vê se toma cuidado que tua batata tá assando." Ou, "Quem usa antena é televisão." Tem muito mais, muito mais...

Pra terminar, malandragem, dá um tempo:



Minha singela homenagem aos malandros esclarecidos. Eu os admiro. Sou mané, fazer o quê?

Adendo: Cuidado! Você que tem seu blogue hospedado no Blogger pode estar sendo monitorado -sim, sua caixa de e-mail, também. Eu não entendo nada dessa coisa, mas me disseram que é isso mesmo. Os malandros conscientes fazem isso, sabiam? E mais uma do filósofo Bezerra, então:
"Doutor Delegado, eu fui grampeado"


Outro pensamento sábio? "O bom malandro, doutor, sempre age assim, não usa mentira, só fala a verdade, na realidade, vai até o fim."

14 comentários:

Paulo Cunha Porto disse...

Querida Marie,
o último pensamento é bem digno de nota, conheci alguns malandrins inequívocos que faziam gala em magoar, para o que abdicar das mentirinhas convencionais é o processo mais eficaz.
Mas não a Si, porque toda a Verdade que Lhe cabe é deslumbrante e invejável.
Beijinho

Frodo Balseiro disse...

Marie, não entendi direito. "Agentessomos" todos Manés então? hehehe, e a gente fica chamando o Inafio de Mulla e os Drs. Proctógenes, e Paulo Lacerda só ali, monitorando!
É isso?
grandes beijos
frodo
P.S. Só deve apertar quando for acender, viu!

JúliaML disse...

saio de fininho , qurida Marie, como aqui se diz quando não se quer falar demais. E eu em malandros, amiga, tenho doutoramento...tsic!

Marie Tourvel disse...

Paulo, meu querido, a última frase foi a que mais me chamou a atenção. Realmente essa espécie de malandro fala somente a verdade -muitas vezes solta frases faladas verdadeiramente, porém fora de um contexto geral.
Eu só sei de uma coisa, quando erro assumo meu erro, peço desculpas e procuro reparar o mesmo. Se não aceitam é um direito que lhes cabem e é um direito meu querer saber de toda a verdade. O fato é que eu não consigo ser malandra. Sou uma "mané", como se diz aqui no Bananão.
E é muito importante receber suas palavras por aqui, sabia? :)
Você é um amor.

Beijos!

Marie Tourvel disse...

Oi, Frodo, querido. É como me sinto, uma verdadeira "mané". A gente fala isso tudo e mais um pouquinho de nós mesmos e estamos sendo monitorados por gente com complexo de Protógenes e Lacerdas. E tudo isso com ar superior, com ar de "sou inteligente" e estou me protegendo. Mas tudo certo, Frodo. O Ináfio é uma mulla manca mesmo. E daí? :)))
Beijinho.

PS: e eu lá vou apertar alguma coisa? Quanto mais acender... eu sou é uma "mané". :)))))

Marie Tourvel disse...

É por isso que eu digo que a melhor coisa para pessoas honestas como nós -que aqui no Brasil costumam chamar de bobos, é sair de fininho. É o que farei, Júlia, querida. :)

Um grande beijo, amiga.

Alexandre, The Great disse...

Oi, Marie!
Belos conselhos, belos conselhos... Bezerra da Silva, o "bom" malandro, pena que tenha inspirado tantos "maus" malandros, né não?
Um país que cultua o jeitinho, esta forma heterodoxa de burlar as regras sociais, gênese da Quimera que ora nos amedronta e ameaça, quem diria... começou com este "malandro" e seu arquétipo.

Beijos, querida.

Marie Tourvel disse...

Olá, Alex, meu querido. Tudo bom por aí? Estava com saudades...
Pois é, eu nasci pra ser Mané, não tem jeito. Pra mim, não existe o "bom" malandro. Ou se é, ou não se é.
Um grande beijo.

JúliaML disse...

não existe mesmo, Marie, o bom malandro, o poblema é que nós só o entendemos tarde demais...

beijinho

Marie Tourvel disse...

Exatamente, Júlia, querida. Acho que é o nosso olhar cândido que não deixa a gente enxergar a realidade e aí quando vê...
Claro que aprendemos algo, mas ainda assim passaremos por outras situações semelhantes, pois nossa essência, esta, não há meio de ser modificada.

Um grande beijo, amiga.

Johnny na Babilônia disse...

Acho que fui grampeado.

Que medo!

Marie Tourvel disse...

Sabe que eu não tenho medo pelo fato de ser grampeada, Johnny, querido. Tenho mais medo das brincadeiras que dá pra fazer com e-mails. Colocar frases fora do contexto, por exemplo, para mostrar a alguém. Acho mais do que perverso. Chega a ser deprimente e medíocre a pessoa querer brincar de Deus. Não tem mais o que fazer, não é?
Tudo bem por aí, querido?
Beijos!

JúliaML disse...

alvos fáceis, querida amiga...:-(

beijo grandão!

Marie Tourvel disse...

Fáceis e manipuláveis, Júlia, querida.
Mas ainda assim, prefiro ser como sou. Erro, peço desculpas e tento reparar meu erro se a outra parte aceita. Mas não aceitam. Acreditam no que querem, no que lhe é mais conveniente.
Um grande beijo.