2/05/2009

Dos tratados sobre a "estupidezumana"

A popularidade do Efelentífimo está em 84%. Estranhei. E muito. Como assim? Protesto. Pensei que fosse chegar aos famosos 96% da maioria bovina que sempre se forma espontaneamente neste país (by Diogo Mainardi). Que decepição, Efê! Rumo aos 96%. Aí sim poderemos dizer que a tradição bananeira que Diogo escreveu em sua última coluna estará completa.

Andam chamando o Efê de “fenômeno”. Feito o gordito Ronaldo. Sou sincera. Entendo nada ou quase nada de futebol. Até pouco tempo atrás eu acreditava, quando alguém do meu convívio só para me tirar uma chinfra, dizia que o juiz havia apitado "perigo de gol". Achava realmente que existia essa regra. Podem rir de mim. Eu mereço. :P Mas não precisa entender muito de futebol para dizer que o termo “fenômeno” para o gordito foi fabricado. Coisa de italiano. Já disse por aqui que italianos por muitas vezes podem ser tão ridículos quanto os bananeiros –mais, não. Ronaldo não era um cracaço, vai? Concordem comigo. Ele era um bom jogador que se utilizou do velho ditado: em terra de cego quem tem um olho é rei. Virou fenômeno, fazer o quê? O Efê nem bom é, mas vocês verão onde eu quero chegar no próximo parágrafo.

Meu alento, agora que estão a chamar o Efê de fenômeno, é que os últimos acontecimentos na vida do gordito não são exatamente o que podemos chamar de edificantes. E ele já não é mais tão unânime assim. O mesmo destino pode ter o fenomenal Efê. Quem garante que ele não será encontrado num motel com o Zé Dirceu, Zé Genoino e Dilmão? E não vai adiantar ele dizer que estava só fazendo uma reuniãozinha. Vai pegar mal. Aí começa a derrocada. Nós que pertencemos aos ínfimos 4% acordaremos de nossa letargia. Portanto, lulopetistas, continuem a chamá-lo fenômeno. Nós, reaças de carteirinha, agradecemos. Teremos a chance de assistir ao castigo que será dado ao Efê: jogar no Curíntia morando num ap do Tatuapé. E vamos encher nossa Kombi para assistir aos jogos, tá? Ok, eu dirijo, já que a maioria dos 4% nem dirigir sabe.

2 comentários:

QuincasB disse...

popularidade q nunca deu pra eleger em um turno só; brasileiros acreditamos em qualquer coisa q nos dizem, errei? bonjour, marie

Marie Tourvel disse...

O problema, Quincas, querido, é que elege, né? :(
Mas tô aí, viu? O que me importa é que veio me visitar. ;)

Bisous et bonjour