6/21/2009

Sunday Morning

Ai, acontecimentos...

Povo e pova do Bananão, mirem-se no exemplo dos
persas. Vai ver se eu tô na esquina, Ahmadinejad
.
E tem isso pra ler, também. E pensar que o podcast não vai mais existir. Ainda bem que sobra a coluna.

***

Uma morte é uma morte, . Mas nunca mais assistirei pornochanchadas da mesma forma.

***

E o topete mais ridículo do Bananão (ok, ok, o do Agnaldo Bichol, aqui na companhia edificante do microfone dourado de Raul Gil, não fica atrás), troca o bispo pelo SS. Faz todo sentido.

***

E o técnico do time dos bambis –não sou eu quem digo isso, mas o povo e a pova; caiu. E vem um jornalista notoriamente chapa-branca cu-rintiano e diz uma asneira no dia 19 de junho (procurem o post do dia 19/06/2009, pois não encontrei nenhuma ferramenta que lincasse só o post. E não reclamem). É claro que o título dessa tal Libertadores é o mais importante. É o que move os times a ser campeões nacionais, ué. E esse bala Juquinha só fala isso porque torce pro Cu-ríntia. E, segundo minhas fontes futebolísticas, o Cu-ríntia jamais levou este título, né? Corrijam-me se eu estiver errada, pois não entendo picas desse futebol que move os homens. Ou não move. Ficam estatelados em frente à TV assistindo a 22 marmanjos de pernas de fora correndo atrás da bola.

***

E para demonstrar de uma vez por todas que esta pocilga pode muito de vez em quando ser cuRtura, lanço mão de poesia. Claro que eu tenho que estragar com minha voz de rinite, mas estou tomando remédios muito bons e respirando melhor. Veremos até quando.
Antologia Poética. Revoada Branca. Anna Akhmátova:




e este:



***
Hoje Sartre faria aniversário. Uma bela porcaria. Em compensação, Machado de Assis também faria. Nelson Gonçalves, herói gago de nossa gente, também faria. E Ray Davies faz. Hey, Ray, so tired of waiting for youuuuuu:



Presente mais que bacana de "Sunday Morning" pra todo mundo, aniversariantes ou não.

Um feliz domingo a todos.
ADENDO: aniversariantes de hoje, não fiquem pensando porque nasceu no dia de hoje que é canceriano. Você pode até ser um câncer, mas dependendo da hora em que nasceu pela manhã, não passa de um câncer geminiano. Com todos os defeitos que este signo carrega.

20 comentários:

Frodo Balseiro disse...

Querida Marie, eu, "enquanto" homem, e BAMBI,(no bom sentido, não veado), protesto contra essa esculhambação contra Homens e Bambis!!!!
Nada como se escarrapachar na poltrona e ver 22 homens de perna de fora, disputando o nobre esporte bretão, enquanto a mulher, ao lado, quer "discutir a relação"....
Affe...bendito esporte bretão, bendito sofá, bendita televisão!!!!
Beijos benditos
frodo

Marie Tourvel disse...

Ah, Frodo, mas eu gosto do time dos bambis. É... deixa eu ver... meu terceiro time. Eu só não gosto do timeco lá da Marginal Tietê. Time não-bom.
Comigo ninguém teria esse problema de discutir relação. Já parto pros finalmentes. :))))))))

Bendito controle remoto!

Beijocas e saudades.

mike disse...

Ah mas a gente iria discutir (ou talvez não... risada). Cê sabe como é, um expatriado portuga chega em Sampa e logo lhe perguntam por que time torce. Aí o portuga hesita e pede ajuda. Falam-lhe do Palmeiras, da Portuguesa, do São Caetano, até chegarem ao São Paulo e ao Corinthians. Um é o clube bambi em que os torcedores jogam pó de arroz uns nos outros para comemorar o gol. Os torcedores do outro são cabras-machos que trocam tiro com a Rota. Ué, Marie, estava esperando que torcesse por qual time, meu bem? (muitos risos)
Bom domingo... (eu saindo, ainda rindo com esta sua crónica domingueira... nossa!... o que essa Mulher vai ficar pensando de mim...) ;D

Marie Tourvel disse...

Mike, Mike, meu lindo... essa mulher só pode pensar coisas boas de você. ;)

Eu espero que você em sua estada no Bananão não tenha optado pelo Cu-ríntia. Eu, por exemplo, torço primeiro pro Palestra Italia porque sou italiana; depois pro Santos, porque meu moleque torce; depois pro São Paulo, porque eu acho fofo ser campeão toda hora. A Portuguesa? Tá bom, posso até torcer, vá lá. Afinal, eles não conseguem encher uma Kombi com seus torcedores. :))))))

Adoro você!

Beijos de domingo.

Mike disse...

Marie, :)))
Na realidade devo confessar que sou mais torcedor do São Paulo (o que mais semelhante com meu Sporting aqui em Lisboa) e com o Santos pelo histórico do Pelé. :)

Marie Tourvel disse...

Bom saber, Mike. Porque é muito legal sempre levantar a taça, não é? E o Santos... Bom, ok, o Santos tinha o Pelé, né? Não tem muito o que dizer. :)

Beijocas

Gilda Krentiqueé disse...

Oi Marie, gostei do "Sunday Morning". Obrigada, tá? ;)
Poesia e futebol, perfeito!
Beijo e boa semana.


Mike,

Bem vindo ao Brasil... bem vindo aos times que fazem de todos nós quase escravos. Vi seu comentário para Marie e não pude resistir... olha Mike a torcida do pó de arroz é a do Fluminense e não tem nada a ver com o time do São Paulo. São Paulo nunca jogou pó de arroz, jogava bola... um jogo feio... e vencia, antes. :)

Marie Tourvel disse...

Oi, Gilda, querida. Que bom que gostou. Servimos bem para servir sempre. :) Essa mistura que dá a malemolência do povo bananeiro.

Quanto ao pó de arroz fui me informar com gente que entende do riscado. Minha fonte disse-me que realmente essa história de pó de arroz nasceu com o Fluminense do Rio de Janeiro, mas como o São Paulo também é tricolor se apoderou do negócio, também. E o que disse é verdade. O São Paulo vencia, antes. :)))))) Se jogava feio ou não, não tenho a menor idéia. :))))))

Beijocas e obrigada pela presença aqui nas Letras.

Gilda Krentiqueé disse...

Oi Marie,
Desculpa, mas vou discordar da sua fonte com todo respeito. O São Paulo adotou o tricolor pra eles mas não é o verdadeiro tricolor, pode ser até um time de três cores tanto quanto outros pelo Brasil afora. Tricolor só tem um e esse, só esse, usa o pó de arroz para saudar o Fluminense. Enfim Marie... o pó de arroz do Fluminense não tem nada a ver com os bambis do São Paulo, nasceu para disfarçar um jogador negro que entrou para o time. Havia preconceito naquela época, coisa feia né Marie? Mas como o futebol tem um lado bem humorado levaram o pó de arroz para as arquibancadas. Nunca nenhum "sãopaulino" viu pó de arroz no Panetone. Ah Marie já que eles roubaram o tricolor... bem que o Fluminense podia tomar posse do Muryci. Desculpa Parreira. :)

Beijos Marie e é sempre bom estar por aqui. :)

Marie Tourvel disse...

Gilda, que legal a história. Adoro aprender essas coisas. Vem sempre me ensinar, tá? E eu não gosto do Parreira. Uma vez ele disse que gol era um detalhe e eu lembro bem disso. Não-bom, o Parreira. :))))

E é sempre bom recebê-la. :)

Beijocas

Rover disse...

Post bom, dona Marie! Até voltei com o blog tb (esta relação tão instável, haha). Vou ler com calma o que há pra ler, pois estou sem som, ó que desgraça! Beijo grande.

Marie Tourvel disse...

Uêba! Rover, meu querido amigo, por aqui.
E voltando a escrever no seu Seleta de Prosa. Que boa notícia. Vou lá visitar, djá!

Então, os dois poemas, eu te mando por escrito depois. Afinal, não perde nada em não me ouvir declamar com voz de rinite.
Mas a música é uma pena não poder ouvir, querido. É Kinks. E eu os amo de todo meu coração. Tired Of Waiting For You.

Como eu gosto quando vem por aqui. :)

Beijos!

Mike disse...

Obrigado, Gilda. Dá para ver que você e a Marie percebem de futebol. (risos)
São Paulo é uma cidade que eu guardo no coração e onde tenho amigos. E essa história do pó de arroz foi-me contada pela galera da agência de publicidade onde trabalhei. :)

Marie Tourvel disse...

Eu só engano, Mike, querido, só engano... :))))))
Cê não acha que tá na hora de visitar São Paulo novamente? ;)

Beijos!

Mike disse...

Sabe o que eu acho? Está sempre na hora de visitar São Paulo, Marie. :)))
Mas tem que dar para apanhar um final de semana. Quero voltar a Maresiaaaaaaaas... e levo a minha prancha, pode ser? :D

Marie Tourvel disse...

Pois venha, Mike. Te levo à Maresiaaaaaaaaas. E não precisa se preocupar em trazer sua prancha. Por lá temos umas e outras.:)

Mais beijos

Gilda Krentiqueé disse...

Oi Mike não e tão difícil perceber um tantinho de futebol... é só prestar atenção: "control de mete bai equipe praying de left de write in the "midiu", afte-dem de "midiu" fond berrind." Gol! :)

Beijo Marie!
:)

Marie Tourvel disse...

Essa Gilda é do balacobaco. Entende tudo do esporte bretão. Aí, Gilda, mostre que sabe tudo.

:)

Beijos, querida

Fernando Sampaio disse...

Marieee, eu sô curíntia mas sô gente boa.
Não some lá do Lumières não, fico com saudades...
Bisous
Fernando

Marie Tourvel disse...

Fê, meu lindo, você pode ser o que for. Eu adoro você de qualquer jeito. E como você sabe, ninguém é perfeito, né? :))))))

Tá vergonhoso eu não entrar em blogues, viu? Vou pro lumière agora mesmo. Cê perdoa minha ausência? ;)

Beijocas